quinta-feira, 13 de junho de 2013

HOMOSSEXUALISMO: DANDO A CARA PARA BATER, DE NOVO.

Bem, este é um assunto que acredito que vamos ter que tratar muito ainda. Estamos vendo apenas a ponta do iceberg.  Muito me incomoda ver como a mídia trata esta questão, mas mais incomodado ainda fico em ver como aqueles que se afirmam cristãos lidam com isso.

Assim, mais uma vez vou tentar dar minha contribuição em termos de uma reflexão bíblico-teológica. Quero reforçar isso. Minha contribuição não é em termos morais, éticas, filosóficas, antropológicas, psicológicas, ou qualquer outra linha de ciências humanas. É teológica!

O que quero dizer com isto? Quero dizer que o que escrevo parte de pressupostos e paradigmas que para mim, e para o Cristianismo Histórico, estão estabelecidos desde antes da fundação do mundo. O que apresento aqui tem por base a convicção de que a Bíblia é uma Revelação. Uma revelação feita pelo próprio Deus, interagindo com os seres humanos ao longo da história.

Também tem por base que Deus é real, e que ele não é uma energia, uma força mística, mas uma Pessoa, e que é o Criador de tudo que existe e como tal, estabeleceu critérios e uma ordem que deve estruturar e reger a criação feita por ele.

Na Bíblia, mais precisamente no primeiro livro que ela contém, chamado Gênesis, nos dois primeiros capítulos, vemos o que é chamado de criação boa e perfeita de Deus. No capítulo 3 há um evento que chamamos de Queda, que tem a ver com a rebelião do ser humano contra seu Criador.

A partir dai tudo o que encontramos na Bíblia está relacionado a Deus nos mostrando como as coisas deveriam ser, como nos distanciamos disto e como Deus está trabalhando para trazer tudo de volta a ordem.

Em termos de relacionamentos sexuais, a Bíblia não nos dá a opção de escolhermos o que desejamos ser ou como desejamos nos relacionar. Existe um Deus que sabe como devemos ser, porque nos criou, e diz como devemos nos relacionar.

Se não fazemos do jeito que ele nos apresenta em sua palavra nós estamos nos rebelando contra sua vontade que é boa e perfeita para a humanidade. As pessoas em nossa sociedade podem ficar bravas o quanto quiserem, podem chamar isto de moralismo, ou preconceito, mas lembre-se que não estou tratando de moral e não estou tratando de sociologia, estou tratando de teologia.

Portanto, conforme o que a Bíblia nos ensina, se somos autênticos seguidores de Jesus Cristo, vamos desejar ver e fazer as coisas de conformidade com o projeto original de Deus. O que em termos de sexualidade implica em manter um relacionamento entre um homem e uma mulher, com fidelidade a esta relação.

Eu não estou dizendo com isto que não devemos respeitar um homossexual, ao contrário. Como um seguidor de Jesus Cristo, eu respeito um homossexual como ser humano, como faço com qualquer outro ser humano. Se ele precisar de minha ajuda irá encontrar, se precisar que eu doe sangue para ele, irei doar, se precisar de alguém para conversar, irei me dispor. No entanto, eu não concordo com sua decisão de querer dirigir sua vida de maneira independente do que Deus diz para nós. Assim como não concordo com isto em qualquer outra área da vida, da minha própria vida, com a qual eu tenha que lutar porque está se manifestando de maneira contrária ao governo de Deus.

Os meios de comunicação tratam desta questão apenas querendo mostrar que homossexuais podem ser pessoas de respeito, e podem mesmo, podem ter famílias decentes, e podem mesmo, mas a questão não é esta. A questão é que Deus, o Deus que fez sua revelação através da Bíblia, o Deus que se manifesta na pessoa de Jesus Cristo, nos diz que ele não criou o ser humano para que este se relacionasse sexualmente homem com homem ou mulher com mulher.

E não adianta ter igrejas que aceitem isto, ou digam o contrário, não é a igreja que dita isto, é a Bíblia. É por isso que tantas pessoas fazem questão de rejeitar a Bíblia como Palavra de Deus, porque se não rejeitar tem que rever o que querem fazer de suas próprias vidas.

É claro que a Bíblia não trata apenas desta questão, trata também de muitas outras, e quero deixar claro que se é tratado explicitamente pela Bíblia, então, precisa ser acolhido de modo intencional e comprometido por todo aquele que quer ser discípulo de Jesus Cristo.

Logo, torno a dizer que não tem nada de preconceito aqui. Tem sim consciência de compromisso com o que Deus planejou e ordenou para o ser humano. Contudo fazemos parte hoje de uma sociedade que não quer se submeter a Deus. Quer um Deus que as aceite fazendo as coisas que querem fazer, no lugar de se arrependerem para aceitarem um Deus que diz como elas devem fazer as coisas.

Qualquer pessoa tem o direito de escolher e viver do jeito que bem entende, mas todos nós temos que lidar com as consequências de nossas escolhas. E neste caso a consequência é que Deus não se relaciona e não acolhe em seu Reino pessoas que se rebelão contra sua vontade.

"Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus." (1Coríntios 6.9-11)

Note que não são apenas os homossexuais, e que não são apenas atitudes que nossa sociedade denomina como erradas, mas são posturas de rebelião e independência ao que Deus estabeleceu como sendo bom e perfeito para nós seres humanos.

Note também como, apesar de nossa rebelião, Deus não nos abandonou, mas nos enviou Jesus Cristo, para como ser humano, fazer a escolha de viver em harmonia e obediência aos propósitos de Deus para que, então, com sua morte e ressurreição pudessem nos perdoar e nos tirar de nosso estado de rebelião.

Pronto, dei a cara a bater de novo! Minha oração é para que Deus dê amor, compaixão, sabedoria e coragem a todos aqueles que são autênticos discípulos de Jesus Cristo. Para que assim possamos responder ao presente século com uma vida de compromisso com o governo de Deus.

No Caminho,

3 comentários:

Sacasaes disse...

Parabéns Pe. Ricardo pelo texto.Sabemos que,a opinião antecipada,formada sem ponderação, e que é conhecida como PRECONCEITO, se inicia principalmente com os preconceituosos, os que não não aceitam regras de proceder,doutrinas,ensinamentos... "Deus existe, e se optamos por não o seguir,então perdemos tudo,a dignidade, inclusive a vida eterna" Deus abençõe a todos!!!

wanderlei santos disse...

Olá companheiro de caminhada!
Li seu texto e gostaria de comentar que:
1º O termo homossexualismo não se usa mais, pois associavam-no à doença, e de fato não é! O correto é chamar de relações homo afetivas ou homossexualidade (embora alguns tb descordem deste último.
2º O assunto é polêmico e complexo e não dá para conversar apenas apoiando-se em teologia, pois se estudarmos os textos bíblicos com "as lentes" da Análise crítica, eles falam tanto de homossexualidade como falam de internet! Os textos, dentro de seus contextos, não dizem muita coisa pra nós. É duro fala que "Deus Falou!" Vemos que, em Levíticos, é tanto errado a prática homossexual como a de semear duas sementes no mesmo campo ou ainda comer camarão! As proibições estão no mesmo pé de igualdade, pois a questão se fundamentava em proibir, não tais práticas em si, mas tudo o que os povos vizinhos e "não eleitos" faziam. O texto que citas de coríntios (e outros) também tem seu problema em particular, uma vez visto que, a comunidade de corinto era, na sua maioria, de origem grega, e isso diz muita coisa. Contudo, tudo isto pode ser refutado, pois a tradição cristã sempre teve a prática como algo errado, mas por não sair nada de frutuoso desse tipo de relacionamento. Não há fruto de amor, não gera vida!
3º Penso que o maior problema de sua missiva seja considerar o assunto apenas segundo a teologia, pois essa é incompleta. O tema desvinculado da antropologia, psicologia, sociologia, biologia etc, torna-se impossível o debate, pois como posso dizer que Deus condena um homossexual se este o é por fatores que se enquadram em uma das "logias" acima? Repito, o assunto é complexo e não posso, de modo algum, dizer o que Deus quer ou deixa de querer! Fico por aqui, mas valeu a sua coragem em tratar do assunto. Que as reflexões realmente possam evoluir no sentido de cada um encontrar seu lugar na história da salvação! Deus Te proteja e guarde..

Anônimo disse...

Olá Wanderlei.
Obrigado por suas considerações. Como disse em meu título, dei a cara para bater. Nunca esperei que todos concordassem comigo, ao contrário, penso que muitos discordaram. No entanto, não retiro nada do que escrevi. Quanto a terminologia, como sempre a sociedade está em busca de argumentos que lhes faça sentir-se melhor em sua rebelião. Sobre minhas considerações quanto a como discípulo de Jesus Cristo eu entender que precisamos dar uma resposta bíblico-teológica, não é a partir da teologia como ciência, mas da teologia como expressão da revelação que Deus faz de si ao mundo através da Palavra Escrita e da Palavra Encarnada, Jesus Cristo. Isso não significa que não haja lugar e contribuição para as demais ciências sociais, apenas que entendo que a Revelação não se submete a tais ciência, mas estas a Revelação. Quanto aos seus argumentos sobre o Antigo Testamento e principalmente o Novo Testamento, referente ao texto que citei, só dão mais base para minha tese. Os autores bíblicos não estavam preocupados de se adequarem a cultura e tendências ao seu redor. Aquilo que estava de acordo com os valores do Reino de Deus era acolhido, o que não estava era confrontado, em amor, certos de que o poder do Evangelho poderia redimir. Abraços