terça-feira, 26 de abril de 2011

Vivemos o Evangelho Hoje

Eu estava meditando em Romanos 13 e ali encontramos essa colocação feita pelo apóstolo Paulo: "Façam isso compreendendo o tempo em que vivemos." Ele está dando uma série de orientações aos discípulos de Jesus que estão em Roma, e esse é o famoso capítulo sobre nos subordinarmos as autoridades, mas ele também dá outras ordens que estão relacionadas ao nosso viver como seguidores de Jesus Cristo. E ai vem essa expressão "... o tempo em que vivemos." Valho-me aqui do comentário de Eugene Perterson sobre esse versículo: "O presente momento é o único tempo disponível para vivermos no Espírito, para seguir a Jesus, para obedecer os mandamentos divinos, para receber o amor do Pai. Não vivemos o evangelho em nostalgia, saboreando as bênçãos passadas; nem vivemos na fantasia, antecipando um tempo mais conveniente. O tempo é agora: mergulhe nesse tempo presente, nessa Presença." Tenho falado sobre isso algumas vezes em relação a nossa missão no Reino. Só se pode fazer missão no tempo presente. Ninguém faz missão no passado, e ninguém faz missão no futuro, fazemos a missão agora. Acho que podemos ligar tudo isso a uma afirmação feita pelo Deus Trino a seu próprio respeito: "Eu sou o que sou". Se há um tempo que você e eu podemos nos encontrar com Deus, esse tempo se chama: HOJE!
No Caminho,

segunda-feira, 25 de abril de 2011

A Páscoa já passou!

E agora? O que é que fazemos depois que a Páscoa passou?
A maioria das pessoas ficam esperando o próximo ano para que possam novamente ter seus ovos de páscoa, ou uma próxima comemoração especial na igreja. No entanto, o que fazemos depois que a Páscoa passou é continuar vivendo no poder do Ressuscitado. É isso ai! Jesus Cristo está vivo e se ele está vivo, então, existe uma nova ordem através da qual eu e você podemos e devemos viver. Na verdade, essa é a essência daquilo que Jesus Cristo fez aqui com sua morte e ressurreição. Ele não fez isso para nos levar para o céu, ele fez isso para que a realidade do céu fosse colocada dentro de nós. Na verdade o apóstolo Paulo diz que se o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus está habitando em nós, então, todo o poder da vida ressurreta de Jesus já está em nós. Então, viva no poder da sua ressurreição....

terça-feira, 19 de abril de 2011

Ressurreição

"E, se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos habita em vocês, aquele que ressuscitou a Cristo dentre os mortos também dará vida a seus corpos mortais, por meio do seu Espírito, que habita em vocês" (Romanos 8.11)

Hoje em minha devoção matinal me deparei com esse texto que não para de ecoar em meu coração. Se você o leio com rapidez, leia-o novamente, por favor, sorvendo cada palavra dele, dando atenção a cada palavra que as Escrituras nos trazem aqui.

Do que é que o apóstolo Paulo está falando? Neste texto ele não se refere a vida que recebermos quando formos ressuscitados, mas a vida que recebemos em nossos corpos mortais, pelo fato do Espírito Santo estar habitando em nós.

Estamos na semana chamada Santa e dentro do calendário cristão comemoramos a data mais importante do Cristianismo, a morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. Mas, qual é a implicação prática disto para nós?

Conforme esse texto, o apóstolo Paulo nos informa que a implicação prática disto é que nós já temos uma nova vida, que está operando em nós. Não somos mais limitados e escravos de nossa velha natureza, não porque tenhamos que nos esforçar para cumprir as Leis de Deus, mas porque o Espírito de Deus está vivendo em nós.

Que coisa fantástica! O Espírito de Deus, do Deus que se revelou em Jesus Cristo, do Deus que ressuscitou Jesus Cristo dos mortos, do Deus que está vivo em Jesus Cristo, vive em mim e em você, se é que já o reconhecemos e o confessamos em Jesus Cristo.

Isso deveria mudar completamente a nossa vida. Devia mudar completamente a nossa agenda, a nossa postura para com nossos problemas, a maneira de lidarmos com nossas lutas e com a tribulação. E é justamente isso que o texto de Romanos 8 desenvolve até o seu final.

Já estamos vivendo a realidade da ressurreição, por habitar em nós o Espírito do Ressuscitado, e aguardamos a redenção de nossos corpos mortais (Romanos 8.23). Para mim, isso é eletrizante. 

Contudo, quantas vezes vivemos com uma postura de derrotados? Quantas vezes ainda estamos achando que tudo depende de nós, de nosso esforço, de nossa capacidade, de nossa própria energia? 

Que nesta semana chamada 'Santa" você e eu nos lembremos que de fato, já somos os "santos" (separados) de Deus para uma nova realidade de vida: a vida da Ressurreição.

Que a "Páscoa" não seja um dia especial para você, mas a realidade que muda todos os seus dias....

No Caminho,

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Andando na Luz!

Olá pessoal!

Em 1João 1.6 está escrito: "Se afirmamos que temos comunhão com ele (Deus), mas andamos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade." 

A diferença entre a Religião e o Evangelho é que a Religião é um esforço de nossa parte para tentarmos agradar a Deus e sermos merecedores de seu amor, enquanto que o Evangelho é o reconhecimento e o acolhimento do amor que Deus nos oferece em Jesus Cristo.

A maneira que vivemos demonstra o quanto do Evangelho temos de fato compreendido e experimentado em nossa vida. Quando vivemos baseados na Religião, no nosso esforço próprio em tentar agradar a Deus, um dos efeitos que iremos perceber em nossa vida é que "andamos nas trevas", nós não somos verdadeiros, não somos transparentes, não assumimos nosso erros, não confessamos nossos pecados, ficamos tentando sempre desempenhar o nosso melhor e esconder o nosso pior para procurarmos impressionar os outros, e até a nós mesmos.

No entanto, quando agimos assim, na verdade nós não estamos tendo comunhão com Deus, nós não estamos praticando a verdade, estamos mentindo. O Evangelho nos dá a liberdade de sermos reais e transparentes. Ele não nos dá a desculpa para pecar, errar e ficar nos justificando, mas ele nos dá a liberdade de assumirmos diante de nós mesmos, diante dos outros e principalmente diante de Deus que erramos, que falhamos, que pecamos, que não somos tão bons como gostaríamos de ser, e que não somos tão consagrados assim.

Mas, por incrível que possa parecer, é nessa atitude que somos acolhidos por Deus. Quando compreendemos o Evangelho de verdade entenderemos que nossa relação com Deus não está baseada em um esforço de nossa parte para representar um papel, não é condicionada por uma "maquiagem de santidade" que passamos a usar, mas é estabelecida pela liberdade de sermos autênticos e verdadeiros com Deus, conosco mesmo e uns com os outros, pois o Evangelho nos garante que somos aceitos por Deus assim, e somos transformados mediante a sua graça que opera eficientemente em nós.

É por isso que somos ensinados em 1João 1.7: "Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado."

Que tal você dar uma parada agora, ficar uns 5 minutos em silêncio, e avaliar se não existe nada que você está tentando esconder de si mesmo? Se houver, confesse a Deus. Sai das trevas. Diga a ele do seu medo de falhar, e por isso você se esforça tanto, diga a ele do seu medo de ser rejeitado pelos outros e por ele, e por isso você tenta agradar a todo mundo, diga a ele....o que você tem que dizer? O que você tem que trazer a luz? Que você está magoado com alguém, decepcionado com você mesmo, frustrado com Deus?

Depois disso, ande na luz! Seja autêntico com seus amigos, irmãos, colaboradores, cônjuge, igreja, equipe, etc. Não finja! Confesse a eles suas limitados, seus medos, o que te fere na maneira de vocês se relacionarem.

Viva no Evangelho e você verá que "o sangue de Jesus, seu Filho", continua nos purificando de todo pecado.

No Caminho,

sexta-feira, 8 de abril de 2011

E o que houve no Rio?

Olá pessoal!

Penso que todos que me lêem aqui e viram os acontecimentos referentes ao assassinato de várias crianças naquela escola do Rio de Janeiro devem estar, assim como eu, angustiados, impactados, revoltados, desanimados, e quem sabe até mesmo perplexo.

Estou escrevendo para dar a você uma resposta a questões como essa para que nós possamos ser a resposta de Deus para nosso mundo.

A nossa sociedade, como tenho dito muitas vezes, é esquizofrênica. Alimentamos a maldade, a falta de reverência com a vida do próximo, a utilização do outro como mero objeto dos nossos interesses e prazeres. 

Isso é feito e semeado em nossas mentes e corações através de filmes, séries, revistas, músicas, jogos de video game, e etc.  Ai, acontece uma barbaridade como essa que vimos e ficamos chocados e nos perguntando: como uma coisa assim pode acontecer?

Pois bem, pode porque é isso que nossa sociedade tem semeado em nossas vidas. Pode, porque isso é semeado pelo fato de que o ser humano, ainda que seja capaz de fazer coisas boas, é corrompido pela força e pelo poder do mal, por estar desconectado da realidade que produz vida e a fonte de todo bem que é Deus.

No entanto, por favor, não leia essa palavra "Deus", da forma rala e supérflua presente em nossa sociedade. Não é que as pessoas precisam ser mais religiosas, pois muito mal é feito em nome da religião. Também não estou falando de uma energia positiva e melhor que devemos ter.

Quando me refiro a Deus, estou me referindo a um Ser que é Real, Pessoal, e completamente Santo e Justo. Esse Ser nos criou para que pudéssemos ter nossas vidas vividas a partir de suas orientações e princípios.

Contudo, nós o descartamos de nossa vida e a maioria o considera e o invoca de maneira completamente utilitária e egoísta, pensando em como é que Deus poderia resolver os seus problemas.

Pois bem, a única maneira de vermos situações como essa que foi mostrada, e tantas outras que acontecem todos os dias e não são mostradas (todos os dias alguém é assassinado por besteira, uma mulher é estuprada, uma criança é vituperada, etc.) é entendermos que precisamos render nossas vidas a esse Deus.

Como não somos capazes, não temos energia e força suficiente para viver como ele quer, ele nos deu de presente a vida de seu Filho, que se tornou um ser humano, como nós, chamado Jesus Cristo. Através da vida justa dele e de sua marte se sacrificando pelos nossos pecados, ele nos oferece a possibilidade de reconciliação com esse Deus, e através de sua ressurreição, ele coloca em nós a sua virtude, seu poder e sua vida.

Quando cada pessoa que se rende ao relacionamento de amor com Deus por intermédio de Jesus Cristo, começa a experimentar a vida dele, então, nossos valores começam a ser mudados e no lugar da violência, nós estendemos amor, perdão e paz.

Meu coração está triste, chocado, angustiado com o que vimos, mas está também, mais convencido do que nunca, que se o Evangelho não for oferecido como a única resposta para nossa sociedade, e vivido como o único estilo de vida pela igreja, por aqueles que se dizem seguidores de Jesus Cristo, não teremos esperança de ver nada mudar.

Assim, o ocorrido me leva a renovar minha consagração e compromisso com Deus de continuar pregando o antigo e poderosos Evangelho, que chama o ser humano a ter consciência da total santidade e justiça de Deus, compreensão da depravação total que existe em nosso coração como seres humanos que se desligaram de Deus e a cruz de Jesus e o Espírito Santo, como a resposta da graça de Deus para esse cenário.

Vou continuar pregando o evangelho, porque o Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.....

No Caminho,


segunda-feira, 4 de abril de 2011

Quando Deus intervém

Em nossa vida são muitos os momentos em que nos sentimos aptos e seguros em relação ao que estamos fazendo e tantos outros que não.

Quando abrimos as Escrituras nos deparamos com algo que acho extraordinário. É o fato de que Deus, o Deus que se revelou para ser conhecido em Jesus Cristo, que tem todo o poder e toda a autoridade em suas mãos, que poderia existir e fazer tudo o que queira sozinho (lembre-se que ele criou tudo o que existe sem a ajuda de ninguém) escolheu atuar em nossa história com a nossa cooperação.

Sim, a nossa! A minha e a sua cooperação. Será que há algo que poderia dar mais significado e sentido a nossas vidas do que esse fato maravilhoso. Que, além de Deus nos alcançar e nos salvar, mediante a escolha amorosa de seu coração em nos perdoar, nos envolve com ele e com o que ele está fazendo?

Quando Deus intervém, ele o faz, na maioria das vezes através de pessoas como eu e você. Pessoas com suas dúvidas e inconsistências, com suas falhas e com seus medos. Ele usa, o que o apóstolo Paulo chama de "vasos de barro", talvez pensando em um texto que se encontra lá no livro do profeta Jeremias, para fazer sua obra, a fim de nos lembrar que o grande tesouro, o grande poder que está em nós é depositado, não é inerente de nenhum de nós.

Não sei quanto a você, mas eu, diante de tamanha realidade, sinto-me motivado a me prostrar diante deste Deus e adora-lo. Dar a ele toda a dignidade, todo reconhecimento, todo louvor, todo elogio, por tudo o que sou e por tudo o que ele faz em mim, por mim, e através de mim.

Que o Deus que intervém, intervenha em sua vida e através dela....

No Caminho,